Hipátia

Filósofa e matemática grega

A Filósofa e Matemática Grega Hipátia foi um dos mais notórios pensadores do mundo antigo. Nascida na cidade de Alexandria por volta do ano 370 d.C, Hipátia foi a única mulher da antiguidade a se destacar como intelectual. Ela foi considerada uma das principais figuras da Escola Neoplatônica, tornando-se um simbolo importante para a emancipação feminina.

Hipátia foi uma mulher de excelentes conhecimentos em vários ramos das ciências antigas, incluindo filosofia, matemática e astronomia. Aos 41 anos, ela ocupava cargo de catedrática na Universidade de Alexandria, no Egito. Com a autonomia e liberdade de ensinar e divulgar seus pensamentos, Hipátia marcou em definitivo a história da matemática e da filosofia.

Por volta de 415 d.C, a intolerância religiosa trouxe consequências dramáticas para Hipátia. Ela foi presa e linchada por membros da Igreja cristã, o que representou o fim da era de glória da cidade de Alexandria.

No entanto, a contribuição de Hipátia para a ciência foi inestimável. Ela foi uma grande defensora do Neoplatonismo, que defendia a união entre matemática, física e filosofia. Seus escritos abordavam a maioria das áreas da ciência, desde tratados sobre matemática, aritmética e geometria, até obras sobre astronomia, óptica e mecânica. Ela também escreveu sobre temas filosóficos como ética, religião e o livre arbítrio.

Mesmo depois de sua morte, Hipátia permanece um exemplo de dedicação à ciência e a emancipação feminina. O legado de seus trabalhos e escritos conta uma história importante que segue inspirando muitos cientistas por todo o mundo.

Assassinato de Hipátia

Hipátia foi atacada por uma turba de cristãos enfurecidos em março de 415. Ela foi arrastada pelas ruas de Alexandria até uma igreja onde foi torturada até a morte. Posteriormente, seu corpo foi incinerado em uma fogueira.

Motivação do crime contra Hipátia

Hipátia, que tinha influência política sobre Orestes, prefeito da cidade, pode ter sido alvo de retaliação dos seguidores de Cirilo, o bispo, após Orestes ter ordenado a execução de um monge cristão, que causou a revolta de Cirilo e seus correligionários.

Violência em Alexandria

Nesse período, Alexandria era conhecida pela sua violência extrema. Outros bispos cristãos, Jorge de Laodiceia e Protério, sofreram mortes violentas similares à de Hipátia, mostrando a natureza violenta da cidade e do período.

Controvérsia sobre o envolvimento de Cirilo

A relação de Cirilo com o assassinato de Hipátia é motivo de controvérsia. Alguns historiadores, como Sócrates e Edward Gibbon, afirmam que apesar do episódio ter manchado a Igreja de Alexandria, não há menciona de envolvimento direto de Cirilo.

Perspectivas sobre o assassinato de Hipátia

Foi atribuído explicitamente por Damáscio, um filósofo pagão, que o assassinato ocorreu por causa da inveja de Cirilo a Hipátia. Entretanto, pesquisas recentes sugerem que o assassinato resultou do conflito de duas facções cristãs: uma moderada, liderada por Orestes, e uma mais rígida, seguidora de Cirilo, que teria realizado o ataque.

Hipátia
Nascimento: 1 de janeiro de 0360

Local: Alexandria

Morte: 1 de março de 0415 aos 55 Anos

Causa: esfolamento

país de nacionalidade Império Bizantino