Robert Oppenheimer

Físico estadunidense

O Físico Estadunidense Robert Oppenheimer é amplamente conhecido pela sua contribuição histórica para a ciência. Ele ganhou fama mundial após alegadamente ter liderado o Projeto Manhattan, responsável pela criação da primeira bomba atômica destinada a ser usada na Segunda Guerra Mundial.

Nascido na cidade de Nova York em 22 de abril de 1904, Oppenheimer foi criado em uma família abastada e judaica. Em 1921, ingressou na Universidade de Harvard, onde obteve seu diploma em 1925. Em 1926, Oppenheimer iniciou seus estudos de doutorado na Universidade de Cambridge, na Inglaterra. Após completar seu doctorat em física teórica em 1927, retornou à América onde passou a lecionar em diversas universidades como a Universidade de Califórnia Berkeley.

Durante os anos 1930, Oppenheimer tornou-se cada vez mais famoso ao trabalhar em diversos estudos sobre a física quântica e teoria atômica. Seu trabalho destaca-se por ter sido um dos pioneiros no estudo da teoria de grupo. Além disso, seus estudos nos permitiram entender melhor a estrutura atômica e sua composição, o que foi de grande importância para a ciência.

Durante a Segunda Guerra Mundial, em 1942, Oppenheimer foi nomeado diretor-gerente do Projeto Manhattan, que foi desenvolvido para criar a primeira bomba atômica. Apesar de suas contribuições para o projeto, Oppenheimer não foi reconhecido adequadamente pelo seu trabalho porque foi acusado de ser simpatizante comunista.

No pós-guerra, Oppenheimer continuou sua carreira acadêmica como professor em diversas universidades americanas. Apesar de suas contribuições importantes para a física e pesquisa, Oppenheimer foi acusado de comunismo e sua reputação sofreu bastante.

Oppenheimer faleceu em 18 de fevereiro de 1967, aos 62 anos. Ele é lembrado como um dos mais notáveis cientistas estadunidenses e um dos maiores físicos do século XX. Suas contribuições para a física moderna continuam a ser reconhecidas e estudadas por gerações atualmente.

Oppenheimer: Luta contra o câncer e morte

Oppenheimer, um fumante compulsivo, foi diagnosticado com câncer de garganta em 1965. Após uma cirurgia sem sucesso, o físico foi submetido a tratamento de radiação e quimioterapia, também malsucedido. Em 18 de fevereiro de 1967, Oppenheimer faleceu em sua casa em Princeton, aos 62 anos. Sua cerimônia memorial teve presenças significativas.

Cerimônia Memorial de Oppenheimer

Uma semana após a morte de Oppenheimer, uma cerimônia memorial foi realizada na Universidade de Princeton. A reunião contou com a presença de 600 colegas cientistas, políticos e militares, incluindo personalidades como Bethe, Groves, Kennan, Lilienthal, Rabi, Smyth e Wigner. O corpo de Oppenheimer foi cremado e suas cinzas depositadas em uma urna.

Morte de Kitty Oppenheimer

Em outubro de 1972, Kitty, esposa de Oppenheimer, faleceu aos 62 anos, devido a uma complicada infecção intestinal e uma embolia pulmonar. A propriedade à beira-mar foi herdada por sua filha, Katherine 'Toni', e o rancho no Novo México foi para o filho Peter.

Vida Posterior da Família Oppenheimer

Toni Oppenheimer, a filha de Oppenheimer, inicialmente trabalhou como tradutora das Nações Unidas, mas teve sua habilitação de segurança revogada após antigas acusações contra seu pai serem levantadas. Três meses após o término de seu segundo casamento, ela se suicidou na casa de praia da família.

Doações da família Oppenheimer e legado

Após a morte de Toni, a casa de praia de St. John foi doada para a comunidade local para sua utilização como parque público e área de recreação. A casa original, construída muito perto da costa, foi posteriormente destruída por um furacão.

Robert Oppenheimer
Nascimento: 22 de abril de 1904
Morte: 18 de fevereiro de 1967 aos 62 Anos